Esse dinheiro ainda vai render muito!

Data: 10/07/2008 | Hora: 12:38 | Por: Leonardo Rodrigo


O título deste texto não tem nada a ver com alguma aplicação financeira, mas o montante ao que se refere é bastante alto. R$ 5,2 milhões. É o quanto Moreno deixou de receber devido a manobras políticas. Esse dinheiro faz parte do projeto do Governo Federal Habitar Brasil/BID, e que, deveria ser destinado para obras de infra-estrutura e saneamento. Uma das comunidade que seriam beneficiadas com a aplicação dessa verba era a da Nossa Senhora da Conceição.

O problema criado em torno desse dinheiro foi a não aprovação pela Câmara Municipal durante sessão do dia 25 de junho. Seriam necessários pelo menos seis votos (metade mais um) para que o projeto fosse aprovado. Mas apenas cinco parlamentares votaram a favor. Três se abstiveram. A Presidente da Casa não compareceu à sessão, fazendo assim com que o 1º secretário assumisse o posto. Nessa situação, o então presidente só poderia votar em caso de desempate.

Segundo Antônio Oliveira, presidente da Associação dos Moradores do Bairro de Nossa Senhora da Conceição, o projeto incluiria serviços de saneamento básico, habitação, pavimentação de ruas, entre outras obras estruturais. Caso não seja aprovado, o bairro, que possui aproximadamente seis mil moradores, continuará sem saneamento e as pessoas continuarão morando em ruas de barro. O presidente ainda afirma que a população recebeu com revolta a notícia da não aprovação na Câmara. Por isso ele e os populares resolveram organizar esse protesto.

Os populares começaram a se mobilizar por volta das 9h desta quinta. O grupo saiu pouco antes das 10h e chegou em frente à Câmara 20 minutos depois. Eram aproximadamente 150 manifestantes, que fecharam a avenida por quase uma hora. Com o microfone em mãos, eles pediam a compreensão dos parlamentares que se abstiveram para votar a favor do projeto. Alguns vereadores fizeram o uso da palavra para criticar seus colegas, dizendo que eles tinham votado contra o povo.

O protesto ocorreu sem nenhum incidente. Nenhum dos vereadores acusados de se abster na votação do projeto apareceu no local. Apenas o assessor de um deles estava no primeiro andar do prédio filmando o protesto. Um pequeno tumulto foi registrado logo na chegada. Um cabo da Polícia Militar queria, a qualquer custo, desobstruir uma das faixa da avenida. O que acabou revoltando os manifestantes. Mas a turma do deixa disso conseguiu acalmar os animos e protesto continuou sem problema algum.

Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.