Compesa é alvo de criticas da população

Data: 18/03/2009 | Hora: 20:35 | Por: Leonardo Rodrigo


O assunto mais discutido no plenário da Câmara Municipal nas últimas reuniões chama-se Compesa. A companhia de saneamento e abastecimento de Pernambuco tem sido alvo de pesadas criticas dos vereadores. Em coro com os parlamentares estão os moradores que se sentem prejudicados com as obras e o racionamento no abastecimento em Moreno. A relação entre morenenses e Compesa andava bastante abalada pelo fornecimento precário de água, mas a situação piorou depois que começaram as obras de saneamento, em outubro de 2008.

A obra é de extrema importância para o município, que terá aproximadamente 90% de suas moradias saneadas. O mais relevante é, sem dúvida, o fator ambiental, já que o Rio Jaboatão, com o saneamento concluído, deverá receber menos resíduos sólidos e líquidos na sua extensão que passa pela cidade. O orçamento do projeto é de R$ 12,3 milhões (Governo do Estado e Funasa) com a construção de Estações de Tratamento e Elevatórias (ETE), instalações de ramais, rede coletoras entre outras ações. Além de Moreno, Bonança e Massaranduba também estão com obras da Compesa.

Mas para a população o principal problema das obras é a maneira como elas estão sendo executadas. A empresa responsável, a Dornellas Engenharia, é o principal alvo dessas criticas. Além da poeira e entulho que se acumula por onde a obra passa, os moradores reclamam que são pegos de surpresa com a máquina na frente de suas casas, e terminam impossibilitados de sair com o carro ou até mesmo guardar o veículo na garagem. As várias explosões, onde a empresa utilizou dinamite para quebrar rochas, deixou rachaduras nas paredes e tetos de várias casas no Bela Vista.

Depois de concluída não significa que é o fim da dor de cabeça. O material utilizado para refazer o que foi destruído durante a obra parece ser de péssima qualidade, já que é possível ver, por exemplo, nas recapagens realizadas na Cleto Campelo e na PE-07 que no local já esta tudo danificado prejudicando o transito na área.

Outro fato que causa também revolta na população é a falta dágua no município. Sem aviso, a Compesa suspende o fornecimento e termina pegando famílias de surpresa. Muitas vezes passam dias para que a água retorne às torneiras, e sem ter o que fazer, muitos recorrem a poços coletivos e até mesmo a carros-pipa, onerando o orçamento familiar. Esse problema é antigo, mas tem se agravado nos últimos meses com problemas nas bombas que abastecem a cidade. No final de 2008 foi cogitado a utilização de uma balsa para atender a demanda da cidade, mas até o momento não foi confirmado se isso foi necessário ou não.

Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.