Incinerador é discutido na Câmara

Data: 16/06/2009 | Hora: 15:50 | Por: Leonardo Rodrigo


O assunto do momento na cidade é suposta instalação de um incinerador de lixo hospitalar na zona rural do município. Mais precisamente próximo ao Loteamento de Nossa Senhora das Graças, mas conhecida como Inabi. E foi a população dessa localidade que deu o primeiro grito contra a obra. No dia 4 de junho, um representante do loteamento junto com uma engenheira ambiental falou dos possíveis danos que tal empreendimento traria para a localidade.

Mas pelo que parece, a instalação de incineradores não é tão recente assim. Há pelo menos um ano, em um caso semelhante, o Ministério Público de Pernambuco suspendeu a instalação de tais industrias. Naquela época o MPPE interviu devido a irregularidades encontradas nos projetos das empresas. Hoje, a Atento, empresa responsável pelo atual projeto, já teria conseguido licença da CPRH (Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos) e uma anuência da Prefeitura Municipal.

A audiência pública que aconteceu na manhã desta terça, 16/06, teve a participação dos vereadores, de representantes do loteamento e populares. A mesa diretora da Câmara fez um convite a empresa responsável pelo projeto, mas a Atento enviou uma carta informando a impossibilidade da presença de seu representante. O debate foi aberto com Josinaldo Veras e a engenheira ambiental Lia, ambos representam o loteamento. Nenhum dado novos foi acrescentado por ele, apenas Josinaldo mostrou irritação com a insinuação de que a engenheira seria contratada por uma empresa concorrente do atual projeto.

O Secretário de Desenvolvimento e Meio Ambiente (SEDEMA), Jeancleiton, foi enfático ao isentar o governo municipal da suposta anuência que a prefeitura teria dado ao projeto. Logo depois foi o momento da população falar. Ao todo seis pessoas explanaram sua opinião sobre o assunto. E todos se mostraram contra o projeto. Os mais enérgicos foram Jacilda Veras e Paulo César do Jornal A Centelha. Entre outros questionamentos, os dois perguntavam sobre a legalidade do projeto, a lisura da CPRH na emissão da licença e o posicionamento das autoridades em relação ao assunto.

Encerrada a participação popular, cada vereador teve seu momento para demonstrar sua opinião sobre o assunto. Dos dez vereadores, apenas quatro não disseram publicamente o posicionamento em relação a instalação do incinerador na cidade. Foram eles: Romero, Marcelo Bruno, Pedro Mesquita e Ubirajara Paz. Ubirajara (PT) afirmou não ser contra ou a favor, ele apenas quer mais tempo para estudar sobre o assunto, e assim, poder dá seu voto. Assim como o petista os outros que não externaram seu voto pediram mais tempo para entender do tema. Enquanto isso, os demais já disseram ser contra o projeto. Um deles até mais exaltado mandou a empresa “se instalar no inferno”.

Professor Joaquim, PT, levou copia do Diário Oficial do ano passado onde a capa era a ação do MPPE contra a instalação de incinerador em Moreno. Os vereadores questionaram a atuação da CPRH nesse projeto. “Em Moreno dezenas de imóveis estão a espera da liberação da Companhia para construção há vários meses, por que um projeto como esse da Atento já foi liberado?” indagou um parlamentar. Outro vereador lembrou diversos casos de empresas que não puderam se implantar na cidade por Moreno ser área de preservação de manacial. “Se essa empresa se instalar aqui, qual outra industria vai querer ficar perto dela?”.

E por fim, se levantou uma suspeita de que outros municípios e até o próprio governo do estado estariam interessados na implantação do incinerador em Moreno. “Se esse projeto traz tanto beneficio como querem que acreditemos, por que os outros municípios não levam para eles?”. Esses e outros questionamentos deveram ser esclarecidos no próximo dia 1º, data marcada para acontecer uma nova audiência pública, dessa vez com a presença de representantes da empresa, da CPRH e talvez do governo do estado. Um vereador pediu que fosse convidado o governador Eduardo Campos, para participar da audiência, assim como ele fez em Vitória de Santo Antão sobre a ida da Sadia. Será? Acredito que Eduardo em Moreno só em 2010, que é ano eleitoral.

Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.