Moreno prepara cadastro de 1,6 mil vagas

Data: 26/04/2010 | Hora: 22:24 | Por: Assessoria de Imprensa da Prefeitura


Nesta terça-feira, 27, às 19h30, no Société Esporte Clube, a Prefeitura de Moreno mostra à população como será feito o cadastramento de candidatos aos 1,6 mil empregos que devem ser criados com a instalação de duas indústrias no município. O objetivo da iniciativa é facilitar o acesso das empresas à população economicamente ativa da cidade.

O cadastro começa já na segunda-feira, 3 de maio, em dois locais: Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social e Secretaria Distrital. O atendimento será feito diariamente, de segunda a sexta, das 8h às 13h. Os interessados devem apresentar RG, CPF, Carteira de Reservista (se for do sexo masculino), currículo atualizado e comprovante de residência. Só serão cadastrados profissionais residentes em Moreno.

A primeira etapa irá até 28 de maio e visa registrar homens e mulheres interessados em serviços na construção civil, uma vez que os primeiros contratados devem atuar na edificação dos empreendimentos. Durante o mês de junho, será realizada a segunda etapa de cadastramento, visando o registro de profissionais em outros ramos de atuação, como os serviços administrativos. A seleção será feita pelas empresas. A perspectiva é que haja contratações em até 90 dias.

EMPREENDIMENTOS – Sem conseguir atrair grandes empresas há décadas, Moreno espera viver melhores dias, graças ao fato de estar incluído no Território Estratégico do Complexo de Suape. O município, que surgiu como resultado do desenvolvimento de indústrias têxteis, amargou um longo período de estagnação a partir do colapso da produção de tecidos em Pernambuco. Em 2010, a implantação de dois empreendimentos na cidade está sendo encarada como o símbolo de uma possível mudança econômica.

A BS Construtora, fabricante de casas pré-moldadas em concreto, pretende implantar em Moreno a maior unidade brasileira do setor. O pico de produção deverá ser de 30 unidades residenciais por dia. Para isso, a empresa pretende contratar 1,2 mil pessoas e investir cerca de R$ 15 milhões. Já a Polímeris, fabricante de polímeros para uso agrícola, funcionará numa unidade desativada da Tecelagem Parahyba do Nordeste. O novo empreendimento terá investimento de R$ 11 milhões e deverá gerar 400 empregos.

Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.