Crise continua

Data: 07/06/2010 | Hora: 14:34 | Por: Leonardo Rodrigo


No ano que completa meio século de existência, o Hospital e Maternidade Armindo Moura (HMAM) entrou em uma crise sem precedentes. Desde o dia 4 de junho que a unidade não faz atendimento, consultas marcadas foram canceladas e até a central de partos que funcionava no local foi suspensa.

Segundo informações apuradas com pessoas que trabalham no hospital, a falta de médico é principal problema. Na manhã da segunda-feira (7) apenas um urologista atendeu, mesmo assim particular. Não há interno e apenas uma enfermeira e mais dois funcionários tomam conta do prédio.

Quinze dias antes de estourar essa crise o HMAM teve uma de suas contas bloqueadas judicialmente. O motivo? Atraso no pagamento de um de seus fornecedores. A unidade ainda corre o risco de ter repasses de verbas confiscado devido ao débito.

Outra denuncias, como problemas trabalhistas e fiscais, estão sendo apuradas. Mas ainda nada foi comprovado. Um grupo esta se mobilizando para fazer uma manifestação em frente ao prédio do hospital. E isso deverá acontecer na quinta (10).

Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.