Maternidade interditada

Data: 25/06/2010 | Hora: 09:52 | Por: Leonardo Rodrigo


Quem passa na frente do Hospital e Maternidade Armindo Moura (HMAM) vê uma faixa com a informação de que o local esta fechado para reforma. Mas a verdade é que a unidade foi interditada após fiscalização de órgãos de saúde. No dia 22 de junho o Cremepe (Conselho Regional de Medicina de Pernambuco) junto com as vigilâncias sanitárias do estado e do município foi ao local e encontraram diversas irregularidades.

Os problemas eram de infraestrutura, infiltrações e higiene precária. Ainda foi encontrado uma espécie de buraco onde seriam depositados restos de placenta. O HMAM faz parte da rede complementar de saúde de Moreno junto com a Clínica Santa Terezinha. Isso quer dizer que essas unidades recebem verbas do SUS (Sistema Única de Saúde) para atender a população. O dinheiro é repassado pelo município de acordo com quantidade de atendimento de cada um.

Mas para isso existe um teto. De acordo com Secretaria de Saúde do Moreno, a Maternidade teria até 1.018 procedimentos mensais comprados pelo município. Isso daria aproximadamente R$ 170 mil em repasse. Mas desde 2008 esse número só faz cair. Há dois anos, por exemplo, o número de partos realizados no local foi de 1,8 mil. Em 2010 foram apenas 145. Nesses seis meses o número de atendimento na pediatria teria zerado, segundo relatório da secretaria.

Essa queda também pode ser verificada através dos repasses feitos pelo órgão municipal. Em 2008 foi mais de R$ 1 milhão. No ano seguinte o repasse foi de R$ 760 mil. Nos cinco primeiros meses de 2010 apenas R$ 130 mil. A situação ainda é agravada por causa das parcelas dos empréstimos feito pelo HMAM em 2007 e 2008. Juntos eles chegam a R$ 720 mil, e teriam sido tomados para melhoria e construção de mais salas no prédio. Só que isso não foi encontrado durante a vistoria.

O Conselho Municipal de Saúde do Moreno publicou uma carta aberta no dia 23 afirmando que o órgão fez seu papel. No texto lembrou ainda que a Maternidade é uma entidade filantrópica e que sua administração é a única responsável pela sua atual situação. O conselho diz ainda que irá acompanhar as medidas necessárias para sanar os problemas da unidade.

Não encontramos ninguém da direção da Maternidade para falar sobre o fato. E não há nada oficial do HMAM falando sobre os fatos. No local apenas uma faixa afirmando que o local esta fechado para reforma e que reabrirá no próximo dia 15.

Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.