A voz de Massaranduba

Data: 03/10/2010 | Hora: 10:58 | Por: Leonardo Rodrigo


Para 162 eleitores, as eleições do dia 3 de outubro ficarão na história. Essa é quantidade de pessoas inscritas na 116ª seção, localizada no povoado de Massaranduba, área rural de Moreno. Para eles, isso foi uma conquista. Já que desde 2007 vinham lutando para conseguir esse benefício de uma urna eleitoral perto de casa.

Logo cedo os eleitores já faziam fila no pátio da Escola Municipal Padre Edmund Kleipool. A primeira era Raquel Albuquerque, 63 anos. Há 40 ela mora na localidade. Com orgulho, Raquel afirmou que nunca deixou de votar, mesmo tendo que enfrentar quase uma hora de viagem até o Colégio Dom Jaime, no centro de Moreno, seu antigo local de votação. “Agora tive que andar uns 20 metros para votar”, falou a eleitora.

Às 8:03 foi computada a participação de Raquel e o primeiro voto registrado na área rural de Moreno. Tão orgulhoso quanto a eleitora, Paulo Lira foi um dos primeiros a transferir seu título para a nova seção. “Nasci aqui, fui para São Paulo, voltei há 10 anos. Até 2008 eu justificava meu voto. Mas não poderia deixar participar de um momento tão importante para nossa comunidade”, disse Paulo. Ele foi a sexta pessoa a votar no povoado.

No meio da fila, que já tinha pelo menos 20 pessoas, estava Agamenon Galvão. Ele é morador de Bonança, mas foi um dos responsáveis pelo abaixo assinado que culminou na ida da urna eletrônica para o povoado. O documento tinha mais de 500 assinaturas de pessoas da região. “Foi uma luta que começou em 2007 e terminou dois anos depois. Além dos benefícios para o eleitor tem a questão do reconhecimento da região, que agora tem voz”, afirmou Agamenon.

Ele acredita que devido a falta de informação, a quantidade de eleitores no local foi pequeno. “Esperávamos pelo menos 600 pessoas nesta seção. Mas devido ao prazo, isso não foi possível. No próximo pleito esse número deverá aumentar”, concluiu.
Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.