Situação agravada com ligações clandestinas

Data: 01/03/2011 | Hora: 11:35 | Por: Leonardo Rodrigo


Alguns moreneneses que foram ao Baile Municipal da cidade na noite do último sábado (26) tiveram uma ingrata surpresa ao chegar em casa. Não tinha uma gota sequer de água nas torneiras. Uns, mais precavidos, tinham reserva em casa. Outros não.

Enfim, o problema do abastecimento de água na cidade tem tirado o sono de muitos em Moreno. Nos últimos dias, a situação vem se agravando e há relatos de que em alguns pontos da cidade as torneiras ficam mais de sete dias sem o liquido.

Para agravar ainda mais a situação, chegam denúncias através do canal de contato deste site que ligações clandestinas estão sendo feitas no cano mestre da Compesa. Isto estaria acontecendo nas ruas Quintino Bocaiúva e Beijamim Constant, no centro da cidade.

Segundo os denunciantes, vizinhos estariam pagando R$ 150 para que pessoas ligadas a companhia fizessem a ligação clandestina. O que estaria agravando ainda mais a situação do abastecimento. “Essas pessoas desperdiçam água, pois não há relógio nem controle no consumo. O excesso deles é o que falta para gente” concluiu o internauta.

Fomos à Rua Quintino Bocaiúva, também conhecida com Rua do Cemitério, checar a informação. Alguns moradores confirmaram a denuncia, mas nenhum quis apontar onde teria sido feita as tais ligações clandestinas.

No escritório da Compesa, que fica nessa mesma rua, nenhum funcionário quis falar sobre o assunto. Ainda entramos em contato com a assessoria da Companhia para obter uma resposta sobre a denuncia, mas até o momento não obtivemos o retorno.

O problema do abastecimento tem sido a maior preocupação dos morenenses. O assunto já foi pauta por diversas vezes na Câmara Municipal. Até o governador Eduardo Campos visitou as instalações da companhia na cidade em janeiro.

Naquele momento foi apontado como vilão da estória a bomba que abastece Moreno. Ela não teria mais vazão suficiente para suprir a demanda morenense. Na ocasião foi anunciada a compra de um novo equipamento, o que resolveria temporariamente a situação. Já que a construção de um nova barragem também foi anunciada durante a visita do governador.

Enquanto isso, é melhor previnir estocando água para suprir os dias em que a torneira estiver vazia. Mas isso também não quer dizer que devemos se acomodar. Quem se sentir prejudicado deve sim exigir seus direitos e colocar a boca no trombone.
Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.