Moreno receberá nova industria de R$ 20 mi

Data: 15/07/2011 | Hora: 00:33 | Por: Leonardo Rodrigo


De uma só vez Pernambuco ganhou um investimento de mais de R$ 1 bilhão. O governador Eduardo Campos assinou na tarde dessa quinta-feira (14/07), no auditório do Banco Central, 11 protocolos de intenções para a instalação de novas empresas no Estado. Os empreendimentos vão gerar 1.600 empregos diretos. Dentre as empresas, os grupos com maior representatividade para o Estado foram o Bolongnesi e a Brasil Carbonos, que vão totalizar um investimento de R$ 700 milhões no Complexo Industrial de Suape, em Ipojuca, e vão criar 300 novos postos de trabalho.

O Grupo Bolongnesi vai investir 600 milhões no Complexo Industrial de Suape. Com 40 anos de experiência, a empresa desenvolve atividades na área da construção civil pesada e na geração de energia elétrica. A instalação da planta em Pernambuco terá início em junho de 2012.

Com investimento na ordem de R$ 100 milhões, a Brasil Carbonos vai instalar uma planta de armazenamento de coque verde, um subproduto do petróleo, produzido pela Refinaria Abreu e Lima. A chegada da Brasil Carbono vai fortalecer a condição de Suape como o mais completo Pólo de Negócios Industriais e Portuários da Região Nordeste. “É uma satisfação participar do crescimento de Pernambuco. Vamos desenvolver parcerias por toda a região”, disse o diretor presidente da empresa, Luis Guilherme Stela Lima.

Eduardo Campos explicou a importância da chegada de novas empresas em Pernambuco. “Além de gerar um grande número de empregos e ajudar na consolidação do crescimento do Estado, as empresas que chegam aqui hoje vão nos ajudar a trazer outros empreendimentos”, afirmou o governador.

Das 11 plantas industriais que serão instaladas, sete serão construídas no interior, o que para o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio, marca o processo de interiorização do Estado. “Nosso trabalho está sempre focado na sustentabilidade, competitividade e na inovação. Com o ato de hoje esse processo ganha forças”, frisou Júlio.

Em Bonito, a Iban – Indústria de Água e Bebidas do Nordeste vai investir R$ 25 milhões numa fábrica de cervejas, água mineral, energéticos e refrigerantes, gerando 150 empregos. A Companhia Brasileira de Materiais de Construção, de fabricação de cimento, terá sede no Cabo de Santo Agostinho e um total de R$ 33 milhões em investimentos.

Em Brejão, no Agreste Meridional, a empresa Notaro Alimentos pretende investir R$ 40 milhões e gerar 300 empregos; em Moreno, o Grupo FairWay, especializado em carbonato de cálcio EDK, irá desembolsar R$ 20 milhões. Já em São Lourenço da Mata, município sede da Copa de 2014, a indústria de ferramentas de construção e jardinagem Famastil já garantiu seu espaço e promete investimentos na ordem de R$ 18 milhões; na mesma cidade, a Prat-k, que fabrica assessórios de decoração, vai destinar R$ 14 milhões em recursos. As duas vão movimentar 200 empregos na região.

As empresas Eletrolux do Brasil e Sasazaki – Indústria e Comércio já confirmaram a vinda para Pernambuco, mas ainda não têm local definido para a instalação. A primeira vai investir R$ 30 milhões, e gerar 270 empregos, na instalação da central de distribuição de mercadorias, unidade de importação e na unidade fabril para a produção de eletrodomésticos da Linha Branca. A segunda é especializada na fabricação de esquadrias, portas e janelas de alumínio.

O que vai produzir a empresa que será instalada em Moreno? - com sede no Espírito Santo, o Grupo FairWay é composto por quatro unidades de negócios distintas: mineração, logística, saneamento e energia. O projeto Pernambuco é uma expansão das atividades da EDK, visando o mercado do Nordeste e internacional através da produção de carbonatos para os mercados de tintas, papel, plástico e siderurgia, sendo responsável por toda a cadeia de produção, desde a extração das matérias primas (dolomita e calcita) até a administração de toda cadeia logística do suprimento. A fábrica deve ser instalada em Moreno, terá seis hectares de área e R$ 20 milhões de investimentos, gerando 40 empregos diretos. As obras terão início em outubro deste ano e têm conclusão prevista para abril de 2012.

Como anda a construção do novo distrito? - logo após a solenidade de assinatura dos protocolos, o governador Eduardo Campos concedeu uma coletiva para imprensa. Entre as questões dos novos empreendimentos que virão para o estado, Eduardo respondeu a pergunta sobre a situação do novo distrito industrial de Moreno. Segundo o governador as primeiras etapas, que eram a desapropriação do terreno e a conclusão do projeto, já foram concluídas. “Agora temos que esperara chuva passar e fazer a obra de infra-estrutura. Além disso tem o acesso, a energia e a água” explicou Eduardo.

Com informações da Secretaria Estadual de Imprensa e Blog do Jamildo.
Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.