Manobra adia mais uma vez votação do parecer

Data: 20/09/2011 | Hora: 11:33 | Por: Leonardo Rodrigo


A reunião que poderia definir o futuro do prefeito Edvard Bernardo (PMDB) foi esvaziada em um claro objetivo de reverter a possível rejeição das contas 2006 da Prefeitura Municipal. Apenas metade dos vereadores estava presente no plenário na manhã desta terça (20), quando seria apreciado o parecer da comissão de finanças sobre o relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que reprova as contas da PMM.

Sem muito o que fazer, já que o presidente Pedro Mesquita (PMDB) tinha pedido vistas ao parecer e até então não tinha devolvido o documento, os cinco parlamentares presentes (Adimilson Barbosa, Ubirajara Paz, Professor Joaquim, Manoel Bizarro e Givaldo Gonçalo) usaram a tribuna para se queixar da manobra que tenta adiar o inevitável: a reprovação das contas.

O mais contundente foi o petista Ubirajara, que chegou a pedir sua renúncia. “No seu lugar prefeito, eu já teria entregado o cargo!” exclamou. O Professor Joaquim explicou que com as contas reprovadas, o prefeito poderá ser cassado. “Após a votação, o presidente da Casa deverá enviar o processo para o Ministério Público. Mas qualquer cidadão poderá dar entrada no pedido de cassação por conta dessa reprovação” disse Joaquim.

Todos os que estavam presentes nessa reunião já deixaram claro sua opinião: de votar pela reprovação. O último a tornar público seu voto foi Adimilson Barbosa. “Eu tinha que ler todo o documento para chegar uma conclusão. E com o que vi ali, não poderia ser diferente” disse o vereador. Para que o texto, que rejeita as contas 2006 da PMM, seja aprovado, será necessário pelo menos 2/3 de votos a favor, ou seja, sete vereadores. A luta nos bastidores vai ser grande.
Leonardo Rodrigo, leoecia.com - 1998/2014. © Todos os direitos reservados.