Saúde: Moreno recebe ação do Projeto Sanar

Aproximadamente 4 mil alunos da rede pública do município de Moreno, na RMR, participam de inquérito epidemiológico, no período de 17 a 25 de novembro, para avaliar a incidência do tracoma na região. A ação faz parte do Projeto Sanar - Programa de Enfrentamento às Doenças Negligenciadas da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Doença historicamente negligenciada, o tracoma pode causar a perda da visão se não tratado rapidamente. Uma equipe, formada por 12 especialistas da SES, vai visitar 40 escolas da rede pública do município, sendo 15 na zona urbana e 25 na zona rural, para examinar, os estudantes, com idades entre 1 e 13 anos, conforme orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS).

As crianças diagnosticadas com a doença serão imediatamente tratadas e irão receber a visita dos técnicos da SES para que sejam realizados exames e tratamento, também, nos familiares. Durante a realização desses exames, profissionais de saúde da Prefeitura de Moreno serão treinados pelos técnicos da SES para que possam dar continuidade ao tratamento dos casos positivos no município.

Tracoma
A doença é causada pela bactéria Clamydia tracomatis, e produz cicatrizes na pálpebra superior, além de deformidades nos cílios e pálpebras que acabam agredindo os olhos pelo contato direto com o globo ocular. Se não tratado rapidamente, esse atrito pode levar à perda da visão. Apesar de ser pouco conhecida, a doença é de fácil identificação pela equipe médica. O tratamento é feito com antibiótico. O paciente ainda deve ser acompanhado trimestralmente para avaliar a eficácia do medicamento.

Crianças
A transmissão da doença ocorre de forma direta, de olho para olho, ou de forma indireta, por meio de objetos contaminados. Os insetos também podem transmitir o tracoma, em especial a mosca doméstica e a mosca Hippelates sp (lambe-olhos). A maior incidência da doença é identificada entre as crianças. A Organização Mundial de Saúde estima a existência de 150 milhões de pessoas com tracoma no mundo.

Dados
O último inquérito, realizado em 79 municípios pernambucanos, em 2006, revelou uma prevalência superior a 5% em 22 desses municípios. Em Moreno, esse índice foi de 8,11%. A meta do Projeto Sanar é a redução dessa prevalência para menos de 5% nessas 22 cidades, consideradas prioritárias pelo programa.

Publicado por Secretaria de Imprensa do Estado de Pernambuco na data de 19/11/2011 às 15:43 e impresso na data de 28/10/2021.